Indelével

Iole de Freitas, Janaina Tschape, Lenora de Barros, Maria Laet e Virginia Medeiros

Indelével

Artistas: Iole de Freitas, Janaina Tschape, Lenora de Barros, Maria Laet e Virginia Medeiros

Curadoria: Vicente de Mello

Datas: 29 de setembro – 15 de novembro 2016

Local: Jacarandá

Exposição

Indelével

Indelével é o que é permanente, o que não se pode fazer desaparecer, “é o que vai por dentro do indivíduo” como nos disse Nise da Silveira, da memória na qual saem as narrativas naturalmente pessoais.

Esta exposição propõe um alinhamento de poéticas e processos produtivos que têm a imagem técnica e seus desdobramentos como eixo que nos conduz a um universo subliminar, cujas propostas se relacionam entre a metafotografia, as percepções da imagem, as memórias permanentes, o inconsciente velado e a violência explícita. Estas artistas interpretam os fatos como narrativos e não é visto a olho nu, e encara o espectador como um cumplice.

Partindo da analogia de um desenho do jogo lúdico cama de gato – linhas que criam ângulos e tramas, mas pertencem ao mesmo fio – cada obra é um ponto de referência para um jogo cruzado de contatos entre todas as outras. Como um fluxograma, ideias vêm à cabeça e seus encaixes formam um corpo de real significado. Observando uma, você está ligado a todas.

Indelével são camadas de autorretratos, do reverso como prova de si mesmo, do silêncio que não se aceira, do corpo que é arma de defesa e se permite, da perplexidade tomada como um encanto. As artistas devolvem aquilo que é delas, numa relação atemporal que as une, em obras nas quais política e ideologia estão latentes, e para observá-la a que se praticar o tato do olho.